function click() { if (event.button==2||event.button==3) { oncontextmenu='return false'; } } document.onmousedown=click document.oncontextmenu = new Function("return false;")

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Noturno








Nos soturnos labirintos deste solano sentimento, encontro 

refúgio na luminosa frieza de teu urbano olhar atento, 

astuto, 

fortuito, que magicamente aborta-me da ortodoxia deste 

claustro onde, aflito, conduzo em minhas mãos, ataúdes de 

dor e solidão, como um bom presságio das benzedeiras 

que, 

nos murmúrios de suas orações, retiram todo o quebranto e 

a inquietação desta profusa e amarga saudade, presente na 

                       imensa planície de meu coração.                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                        J. R. Messias 



Imagem: web.

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Poesia pra ti


Decifrar-te é como ler o destino na borra de café no fundo da 
xícara ou como tentar traduzir um "Finnegans Wake" de Joyce. 
Desafio que diligentemente arrisco-me a propor, cada vez que 
mergulho neste teu mundo sereno, convulso e agnóstico em apnéia 
quase suicida mas que, são e salvo, quando retorno a tona capitalizo o prazer de gozar de tua lira poética, de tua prosa, repletas dessa tua abençoada impaciência e intransigência, que se revela, por trás de tudo, com frescor de um bom, maturado *Cabernet blanc, sorvido a beira de uma cálida lareira, muito bem acompanhado. 


J. R. Messias


Imagem: Web

Poema dela.






A princípio, hermética, criteriosa quase criptografada um ser 

lampejante nas expressões imagéticas que, tal qual uma 

fêmea selvagem, atrai suas presas pela solidez de seu olhar 

e magnetismo de seu sorriso quase lacônico. Expressão 

absoluta de quem perscruta, sorrateira, seu alvo uma 

predadora que sucumbe suas vítimas com, o poder de suas 

palavras e as garras de sua eloquência até a submissão ao 

               seu nicho poético de prazer e imensidão.                                                      




J. R. Messias

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Taré







Minhas palavras degustam tua seiva, amada minha, elas se 

encharcam de ti, lambuzam umas as outras formando um 

todo. Indizível e saboroso gozo,  alimento e prazer que 

encontra em minha boca, o porto, a morada e eu o bebo, 

apaixonado no pulsar de amor recoberto e guardado,

pelo mais puro segredo







J. R. Messias



Imagem: web.

terça-feira, 2 de setembro de 2014

Chuva das duas


Chuva vesperal,
que cai, conduzida 
por alísios ventos
e que, ao solo, se esvai.

Trazes frescor, alento
e também sofrimento,
numa convectiva origem,
úmida, intensa, ao setentrional
inverno, a demarcar.

Numa nebulosa sincronia,
e um trovejar intenso,
nos convida a refestelar 
e numa boa rede, 
nossa sonolência, repousar

E quando ela findar e 
o dia fenecer em um 
belo entardecer, a praça irei,
saborear um fumegante tacacá.


             J. R. Messias


Imagem: www.forumdigitalfoto.com


terça-feira, 26 de agosto de 2014

Agônico




Subjugado pela saudade,
busco sobriedade
nos espasmos de meus temores,
para fazer emergir, quiçá,
novos dizeres e novos amores.
Angustiado pela saudade,
reverencio a tristeza e a dor,
dispersos por um cortejo de inverdades,
que tomam de assalto os fragmentos desse amor,
e de uma paixão que em mim deixastes.
Acariciado pela saudade,
sou conduzido pelas expectativas da paz, encontrar
mas diz meu coração, que a paz para os que amam,
ecoa em sentimentos guardados,
nas entranhas de uma paixão 
que por ti, teimo em alimentar.



                       J. R. Messias


segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Máscaras



A mim chegastes, como um belo espetáculo
de cores, promessa e diversão,
armou sua lona e nela escondeu 
seus segredos e minha perdição.
Na magia da ribalta, em nosso picadeiro,
mostravas a maestria  prestidigitadora 
dos gestos amorosos, tendo a fanfarra da paixão,
ao ditar o ritmo desse amor.
Mas, com a dicotomia emocional de um palhaço,
tirastes  de teu rosto, a máscara do amor
e de cara limpa exibistes a tua verdadeira face
de tristeza e dor, que de mim ocultou.
Então, sorrateiramente, abandonaste-me
no picadeiro desta vida, sem ribalta,
sem fanfarra  e nem o purpúreo brilho do teu ser.


                      J. R. Messias

domingo, 17 de agosto de 2014

Voejar


Ter um sonho,
sonho de voar,
voar nem que seja um voo cego,
incerto, que demanda, ao certo, 
um desvario, que embora concreto,
voo nenhum há de me levar,
pois as asas que tenho,
são efêmeras e oníricas,
presas as costas pelo amalgama da teimosia
que sustenta meu planar, por céus obscuros e hostis 
para os que sonham, para os que ousam,
até que chega a hora do sonho despertar
e cada asa em ilusão se transformar
e na profunda realidade, meu eu, quedar.


                        J. R. Messias


Imagem: afadainflada.blogspot.com

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Quimera

Rastros pelo caminho,
sempre deixei.
Dizem muito do amor,
que um dia perdi.
Descrevem as barreiras,
que por ela enfrentei.
Adornam as páginas de um amor,
que nunca esquecerei.
Justificam todos os poemas,
que um dia escreverei.
Traduzindo em rimas,
toda a dor que sofrerei.
Mas por ela, ainda esperarei.
Um perdão e um recomeço,
ainda pedirei.


     J. R. Messias


Imagem: quimerainsular.blogspot.com

Gourmet


Teus beijos  profanos, de sabores insanos,
trazem ao meu paladar, lembranças 
de tua cor  de canela e  a doçura de um açúcar demerara.
Guardo  tais memórias com candura,
pois o teu amor me fez escravo,
cativo de uma paixão mestiça e madura
que condimentou minha vida,
num menu de sabores e aventuras.
Cada parcela loteada 
de teu palatável corpo,
provei com a expertise de um gourmet,
seduzido que fui, pelas nuances sensoriais
emanadas de ti, onde deleitei, saboreei e 
me deixei locupletar de paixão,
sem preocupações calóricas
mas com a certeza nutritiva de dispor
de um farto banquete de alegria e sedução. 

                                          J. R. Messias


Imagem: geekness.com.br

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Eclusas


Amor saboreado,
na volúpia dessa tirania
que o tempo nos traduz,
na pressa de uma ternura fugaz,
na presença de um tormento atroz.
No compasso de uma harmonia,
coreografada em nossa seção "privé",
rogo pela tua boca, para dela sugar
o quantum de energia que de teu amor sempre busquei
nas horas mortas dessa solidão infame e gris,
na esperança de que, no estuário de minha vida,
possa ter o curso fluvial de minha paixão,
represado pela contenção vigorosa e rejuvenescedora
de teu abraço, de teu beijo e de teu mormaço,
onde o volumoso acúmulo dessa paixão, fluvial 
e caudalosa, possa, enfim, jorrar por todas as tuas comportas.


                                                      J. R. Messias


                                        Imagem: partedevoce.blogspot.com

sábado, 2 de agosto de 2014

Dúbio


A amistosa convivência,
pautada na conveniência,
de uma passageira carência,
e na fragilidade da existência.

Resultado mais do que certo,
daquilo que se imaginou aberto,
pereceu no estoico desprezo
de um insidioso abandono.

Proveitoso foi, enquanto existiu,
caloroso foi, enquanto distraiu,
maravilhoso foi, enquanto emocionou,
e agora, em dor, se transformou.

Palavras compartilhadas,
carinhos verbalizados,
desejos poetizados,
sem um adeus,
nem um, "até breve",
só a duvidosa sensação
se foi bom enquanto durou.

            J. R. Messias

Imagem: jheandouglas.blogspot.com

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Roseirais



A rosa é a flor de maior simbolismo na cultura ocidental. A Rosa é uma flor consagrada a muitas deusas da mitologia. Símbolo de Afrodite e de Vênus (deusa grega e romana do amor). O cristianismo adotou a Rosa como o símbolo de Maria. De acordo com o mito grego, Afrodite quando nasceu das espumas do mar, tal espuma tomou forma de uma rosa branca, assim a rosa branca representa a pureza e a inocência. Conta o mito que quando Afrodite viu Adônis ferido, pairando sobre a morte, a deusa foi socorrê-lo e se picou num espinho e seu sangue coloriu as rosas que lhe eram consagradas. Assim, na Antiguidade as rosas passaram a ser colocadas sobre os túmulos, sendo uma cerimônia chamada pelos antigos de “Rosália”.

Inúmeros são os mitos sobre a Rosa, em geral tem o significado do amor, seja espiritual, carnal, virginal. Símbolo da pureza a rosa possui suas propriedades não só simbolicamente, mas é aproveitada na medicina, para perfumes, culinária, entre outros atributos. A Rosa tornou-se simbolismo do amor e, por isso, muitas pessoas têm o hábito de presentear quem ama com a flor do amor.

Tipos de Rosas
Descrevemos algumas das várias espécies de rosas que existem nomundo.

Alba
O alba são rosas brancas, que são derivados do arvensis e a alba . Eles são as rosas mais antigas de jardim.
China
Como é evidente a partir de seu nome, a China foi cultivada na Ásia Oriental. Estas rosas florescem várias vezes no verão e no outono.
Bermuda Rosas
Estas rosas foram encontrados crescendo nas Bermudas por um século.  São altamente resistentes a doenças 
Bourbon
Estas rosas são originadas fora da costa de Madagascar. Estas rosas escaladam arbustos e tem um bastão roxo matizado.
Noisette
O Noisette é resultado de um cruzamento entre a Rosa da China, Parson e o moschafa.
Musgo
Estas são mutações de damasco ou rosas centifola.
Gallica
As rosas gallica vêm da Rosa Gallica, vindo da Europa central e do sul. Eles florescem uma vez no verão.
Centifola
Centifola também são chamados de rosas repolho devido às flores globulares moldados.
Portland
Estas rosas são o resultado de um cruzamento entre a rosa China e rosas europeus.
Chá
O chá é o resultado do cruzamento rosas China com Noisette e várias rosas Bourbon. Eles são mais macias em relação às rosas do jardim.

Uso alimentício e medicinal da Rosa.

As pétalas de rosa há muito que são usadas em infusões e conservas. Agora são ingredientes de eleição para sobremesas e conferem um sabor suave e muito agradável a pratos fritos, como a tempura de pétalas de rosas, uma entrada deliciosa e rica em vitaminas.

Entre os benefícios mais conhecidos das pétalas de rosas temos o cuidado da pele; elas servem para todos os tipos de pele, mas estão especialmente recomendadas para as peles sensíveis, secas ou com alterações da idade. A água de rosas é usada como um tônico astringente, e o seu azeite melhora as rugas e as cicatrizes.
Outro dos usos para as pétalas de rosas está focado nos seus efeitos sobre a mente e o sistema nervoso, pois está indicado que atuam como sedativo e antidepressivo. Ao usar as rosas em aromaterapia podem-se tratar patologias como o estrese, a tensão nervosa, úlceras, problemas cardíacos e alterações digestivas.
Consumir chá de rosas diminui os incômodos da garganta irritada e é uma ótima fonte de vitaminas e nutrientes que melhoram nossa saúde.


J. R. Messias

Fontes:



quinta-feira, 31 de julho de 2014

Small river


Fostes minha pequena,
não no tamanho
e nem na saudade arredia,
que pulsa nesta alma entorpecida.
Fostes minha pequena, 
um pequeno riacho, 
no qual banhei meus sonhos e desejos,
de um amor temporão,
onde guardei a ilusão de um dia
navegar em tuas águas de curso estreito,
mas tão turbulentas quanto o teu tempestuoso olhar.
Fostes, quase, minha pequena que, imensa,
ocupa cada substrato de uma paixão,
desenhada na intensidade e irresponsabilidade,
de um sentimento tão avassalador, que ficou marcado
nas fibras descabeladas de meu coração.


                                    J. R. Messias

                    Imagem: warriorcatsrpg.com

terça-feira, 29 de julho de 2014

Sentimetálico


Num mundo de amores plastificados,
naturalizam-se sentimentos desatentos,
transformam-se amizades em meros contatos
e fazem das amizades, objetos insondáveis e isentos.

Mesmo que dispa-se a carne,
a aura dispersa a pureza do conteúdo,
o continente perde seu cerne,
e o ser desfaz o seu contorno.

Na nudez decrépita e expositiva,
busca-se a atenção, travestida de interesse,
esquece-se o valor da vida  putativa
e constrói-se anteparos para, a si, proteger-se.

Devaneios, meros e incontáveis, entrelaçados,
clamor pela atenção, sinuosa e matreira,
ânsia represada pelos diques do cansaço,
no ensejo pela justa vida fagueira.

                    J. R. Messias

       Imagem: sentimetalico.blogspot.com

sexta-feira, 25 de julho de 2014

Obscuridão


Na noite em que fostes embora,
teu sorriso se fez distante,
teu perfume se fez marcante,
mas teu corpo tornou-se ausente.
Apartado de ti,  
legado a uma saudade lacrimosa
e de uma solidão dolorosa,
busco fugir das armadilhas que fragmentam, pungentes,
o meu caminhar nestas sendas da solidão,
tal como um cego a tatear os signos 
que decifram onde oculta-se teu ser,
cuja ausência oblitera a luz
e obscurece meu viver.


       J. R. Messias


Imagem: emeirajunior.blogspot.com

Estelar


Como uma estrela matutina,
trazes ao meu alvorecer
a luz de uma esperança
que nem mil sois 
seriam capazes de ofertar.
Teu brilho estelar,
derrama em mim,
uma constelação de sentimentos
que traz alívio e alento ao meu corpo,
que orbita ao redor do teu,
como um solitário planeta que precisa
de tua luz e calor.
Como uma fulgurante Vésper,
ofereces ao meu entardecer,
o afago e o carinho de uma  espera
de toda uma vida de ter, contigo, 
o prazer de uma paixão ensolarada,
pois és, do Cruzeiro do Sul de minhas paixões,
a minha eterna e única Estrela de Magalhães.

       J. R. Messias


Imagem: lenteestelar.blogspot.com

quarta-feira, 9 de julho de 2014

No compasso


Fui surpreendido, por obra e graça 
de um rebelde Serafim que, em mim,
sua seta foi lançada, deflagrando, incontinente,
este amor que em mim esteve, tanto tempo, ausente.
Meu coração, agora, trespassado, pela precisão sagrada deste amor,
percorre milhas como se fossem feitas de rimas, para afugentar,
qualquer forma de dor.
Brindo agora, ao expurgo dessa incerteza,
que nublava de medo meu firmamento
trago, também, o antídoto contra a torpeza
e tochas flamejantes para iluminar e findar todos os tormentos.
Exato na certeza dessa paixão, que hoje me encontro,
ergo pontes, túneis e viadutos, para esse amor poder alcançar,
e com ela poder bailar, seja na suavidade de um Wagner Tiso
ou na intensidade e swing de um João Donato.

                      J. R. Messias

Imagem: www.portalmusica.com.br

domingo, 6 de julho de 2014

Sede



Teu verbo, exato como toda a preamar,
traça limites delineados pelos signos
consanguíneos de um amor fluvial
que transpõe as margens de meu rio,
a inundar minhas margens e a encharcar
meu íntimo desejo, com tua fremente
e envolvente boa vontade amorosa,
disseminando pelo meu caminho, 
fontes  que brotam em minh'alma como olhos d'água,
para saciar a sagrada ansiedade que tenho de ti.



                       J. R. Messias

Imagem: igrejavirtualsemeandoapalavra.blogspot.com

sexta-feira, 4 de julho de 2014

Páramo



Há um silêncio burocrático,
nesta troca de olhares em que
tentamos verbalizar sentimentos,
no absenteísmo de nossos momentos.
A ausência de um simples carinho
que partilhávamos, na outrora
primavera de nossas vidas, hoje, reduziu-se
a um invernal solfejar de lamentos assincrônicos
de palavras mundanas, exortadas,
para a solidão complementar.
Em qual soluço do tempo, nosso 
sincronismo amoroso, desandou ?
em qual banco de areia, 
nosso navio encalhou ?
Nem o tempo poderá, então, responder 
pois ele demarca a sina e o destino
de todo amor/paixão, que um dia acabou.


                               J. R. Messias 


Imagem: www.unipymes.com

segunda-feira, 30 de junho de 2014

Sem título








O surgir de um novo tempo
 irá trazer bons presságios e alento
 a uma humanidade já esgotada
 de tanto conflito e sofrimento.
                       Então, que traga  em seus presságios,                            as promessas renovadas de saberes
                                e maior consciência                                              dos seus limites e temores.
Que seja capaz de brindar
a tão sofrida humanidade,
com a harmonia fraternal,
em um mundo ainda tão
amoral e fragmentado
de fronteiras hostis, de crenças 
radicalizadas e de ódios e preconceitos.
Que esta nova geração,
crie não só o homem novo,
mas também, o genuíno homo sapiens 
que traga ao seio da vida,
paz, harmonia e consolo.


              J. R. Messias


Imagem: muitapazpravoce.blogspot.com

Claket


Como se fosse um projeto de um filme,
sonhamos construir este amor,
na forma de um romântico longa metragem,
onde o roteiro eternizaria todo o magnetismo amoroso
traduzido num roteiro de paixão, sedução e alegria.
Protagonistas, nós interpretaríamos a saga deste amor proibido
e nos efeitos especiais, esconderíamos todo o repertório
Felliniano, para que escondidos dos olhos alheios,
ficasse este enredo em  3D, high definition e douby stereo.
Mas o que era pra ser um longa,
num curta, acabou se transformando
em vez de HD, acabou rodado 
em VGA de baixa resolução,
em vez de uma película romântica de um Capra,
uma atmosfera angustiante de um Bergman
onde, protagonistas, transformamos esta paixão.
em interpretações tipicas de meros canastrões.


                               J. R. Messias


Imagem: www.flickr.com